Audi altera identificação das versões dos seus modelos

A Audi apresentou um novo sistema de identificação que adicionará dois dígitos numéricos à identificação à versão de cada modelo.

Em primeiro lugar convém esclarecer que a atual identificação das diversas gamas mantém-se. Uma letra seguida de um algarismo continuará a identificar o modelo. A letra “A” identifica as berlinas, coupés, descapotáveis, carrinhas e dois volumes, a letra “Q” os SUV, a letra “R” o único desportivo da marca e o TT, bem… o TT continua a ser o TT.

A nova nomenclatura que a Audi pretende adoptar refere-se às versões de modelo. Por exemplo, se agora podíamos encontrar um Audi A4 2.0 TDI (com vários patamares de potência) na lista de versões do A4, muito em breve deixará de ser identificado pela capacidade do motor. Em vez do “2.0 TDI” passará a ter um par de algarismos que classificam o patamar de potência de determinada versão. Ou seja, o “nosso” Audi A4 2.0 TDI passará a chamar-se Audi A4 30 TDI ou A4 35 TDI, caso nos refiramos à versão de 122 cv ou à versão de 150 cv. Confusos?

O sistema parece lógico mas também abstrato. Quanto mais alto o valor, mais cavalos terá. No entanto, não existe nenhuma relação direta entre os números apresentados e uma determinada característica do modelo – por exemplo, aparecer o valor de potência para identificar a versão.

O novo sistema de identificação baseia-se numa escala numérica que começa no 30 e termina no 70 subindo em intervalos de cinco. A cada par de algarismos corresponde um intervalo de potência, declarado em kW:

30 para potências entre os 81 e os 96 kW (110 e 130 cv)
35 para potências entre os 110 e os 120 kW (150 e 163 cv)
40 para potências entre os 125 e os 150 kW (170 e 204 cv)
45 para potências entre os 169 e os 185 kW (230 e 252 cv)
50 para potências entre os 210 e os 230 kW (285 e 313 cv)
55 para potências entre os 245 e os 275 kW (333 e 374 cv)
60 para potências entre os 320 e os 338 kW (435 e 460 cv)
70 para potências acima dos 400 kW (mais de 544 cv)

Como podem observar, existem “buracos” nos intervalos de potência. Estará certo? Certamente assistiremos a uma publicação revista com todos os patamares por parte da marca.

 

As razões por detrás desta mudança são válidas, mas a execução é dúbia.

“À medida que tecnologias alternativas de motorização se tornam cada vez mais relevantes, a capacidade do motor como um atributo de performance torna-se menos importante para os nossos clientes. A claridade e lógica na estruturação das designações de acordo com a potência torna possível distinguir entre os vários níveis de performance.”

Dietmar Voggenreiter, Diretor de Vendas e Marketing Audi

 

Ou seja, independentemente do tipo de motorização – Diesel, híbrido ou elétrico -, é sempre possível comparar diretamente o patamar de performance em que se inserem. As nomenclaturas referentes ao tipo de motorização acompanharão os novos algarismos – TDI, TFSI, e-tron, g-tron.

O primeiro modelo a receber o novo sistema será o Audi A8, recentemente apresentado. Em vez do A8 3.0 TDI (210 kW ou 285 cv) e 3.0 TFSI (250 kW ou 340 cv) dêem as boas vindas ao A8 50 TDI e A8 55 TFSI. Esclarecidos? Pois…

E os Audi S e RS?

Tal como acontece hoje em dia, como não existem múltiplas versões dos S e dos RS manterão as suas denominações. Um Audi RS4 continuará a ser um Audi RS4. Da mesma forma, a marca alemã refere que o R8 também não será afetado pela nova nomenclatura.

No entanto, temos de referir que apesar da marca anunciar o novo A8 como o primeiro modelo a receber este tipo de nomenclatura ficámos a saber – graças aos nossos leitores mais atentos -, que a Audi já recorria a este tipo de denominações em alguns mercados asiáticos, como o chinês. Ora reparem lá neste A4 chinês, de uma geração atrás.

 

 

Que comece a confusão: Audi altera identificação das versões dos seus modelos

Link permanente para este artigo: https://tdi.pt/audi-altera-identificacao-das-versoes-dos-seus-modelos/

Gearbest Cupão 13% de desconto para Eletrónica de Consumo promotion
Cupão 13% de desconto para Eletrónica de Consumo